Tecnologias no campo: por que apostar em conectividade para todos?

Imagem pessoa controlando o drone.

A agricultura baseada em simples previsões e em métodos tradicionais de produção ficou para trás. Com a apresentação de inúmeras soluções de máquinas e dispositivos, as tecnologias no campo tornam-se cada vez mais presentes na vida dos produtores rurais. 

De acordo com a pesquisa realizada em 2020 pela McKinsey em parceria com o instituto Insper e o Centro Brasileiro de Relações Internacionais (Cebri), o uso de meios digitais no agronegócio chegou a 46%, posicionando o agricultor brasileiro como o profissional que, em média, mais utiliza dispositivos digitais em suas tarefas. 

Dessa forma, é possível dizer que as inovações na agricultura resultam em grandes transformações nas cadeias produtivas e nos modelos de negócios dos produtores rurais. Entretanto, para isso acontecer, é importante apostarmos em tecnologias abertas que levem conectividade para todos. 

O que são as inovações e as tecnologias no campo?

As inovações e tecnologias no campo são formadas por uma série de estratégias e técnicas que potencializam as diversas produções agrícolas. Para isso, elas são viabilizadas pelo uso de ferramentas digitais adaptadas à agricultura. 

 

Foto de lavoura.
Imagem criada por aleksandarlittlewolf –br.freepik.com

 

De modo prático, as tecnologias inovadoras otimizam as cadeias de produção, trazendo ao agricultor maior produtividade a menor custo. Isso porque as informações geradas pelas máquinas e dispositivos servem de base para tomadas de decisões mais conscientes sobre o plantio.

Outro benefício está no desenvolvimento aliado à sustentabilidade, uma vez que os dados agronômicos consolidados e analisados promovem a redução de desperdícios de água, fertilizantes, sementes e defensivos. 

Além disso, as novas técnicas fortalecem a profissionalização no campo, o que torna os processos produtivos cada vez mais qualificados. A ConectarAGRO, por exemplo, conduz pilotos de Projetos Educacionais em parceria com suas associadas para a operação de máquinas e dispositivos nas propriedades rurais.

A partir desse cenário, separamos três tendências de tecnologias no campo para você ficar por dentro.

Agricultura de precisão 

A agricultura de precisão é uma das principais práticas que utilizam as tecnologias no campo, pois elas têm como princípio o uso de tecnologias de informação, a mecanização e automação de máquinas.

Ou seja, o produtor rural pode monitorar, controlar e executar as máquinas e dispositivos a distância ao mesmo tempo em que obtém dados qualificados sobre seu sistema agropecuário, como nos plantios de cana-de-açúcar, grãos e até mesmo frutífera. 

 

Drone voando.
Imagem criada por ArthurHidden – br.freepik.com

 

Além do uso de GPS e drones, a agricultura de precisão envolve tecnologias no campo como sensores, piloto automático, distribuidores de corretivos e defensivos. Graças a essas ferramentas, o agricultor tem acesso a mapas de irrigação, taxas de semeadura e recomendações de manejo. 

Big data 

Se a agricultura de precisão se define pelo uso de ferramentas capazes de produzir os dados, é necessário que o grande volume de informações seja organizado e interpretado para a produção de relatórios e insights que auxiliem os gestores nas estratégias

Portanto, o Big Data traz valor às análises preditivas sobre as produções agrícolas, de modo a estabelecer padrões e gerar representações visuais dos principais indicadores-chave de desempenho. 

Em uma era em que as organizações também devem se adaptar às demandas do mercado e dos consumidores por modelos de negócios socialmente responsáveis, o Big Data também auxilia na produção de dados para governança social, ambiental e corporativa. 

Para fins de exemplo, as tecnologias no campo podem gerar informações a respeito de categorias como consumo de energia, produção de resíduos e emissões de carbono. Outra oportunidade está na análise sobre a transparência fiscal da organização. 

Softwares de gestão 

Nos computadores, tablets ou smartphones, os softwares agrícolas são importantes ferramentas para a administração das propriedades rurais. A partir das soluções eficazes baseadas em dados, é possível utilizá-los para o planejamento de safras, controle de custos e monitoramento de produção.

 

Imagem criada por RawPixel – br.freepik.com 
Imagem criada por RawPixel – br.freepik.com

 

Uma vez sistematizadas, as informações armazenadas pelos programas proporcionam uma visão 360º sobre o planejamento estratégico das fazendas. O proprietário consegue estabelecer um controle maior sobre a gestão financeira, tendo noção das compras, bem como as dívidas e impostos a pagar.

Os softwares especializados também são utilizados na gestão de pessoal, no intuito de contabilizar o rendimento e engajamento dos colaboradores nas atividades desenvolvidas ao longo da produção agrícola. 

Conectividade aberta, tecnologias no campo para todos 

A revolução digital gerada pelas tecnologias no campo é mais do que evidente, não é mesmo? Entretanto, elas só podem entrar em ação se as fazendas estiverem conectadas às redes de internet. Caso contrário, a produção de dados é subaproveitada. 

Pensando nisso, a ConectarAGRO promove a conectividade aberta a partir da união de esforços comuns entre suas empresas participantes. Esse tipo de abordagem torna-se preferencial pois proporciona mais flexibilidade e liberdade aos produtores rurais, ampliando o leque de opções de tecnologias no campo a serem utilizadas.

Quer saber mais motivos para apostar em tecnologias abertas? Destacamos três benefícios para você conferir.

Maior integração entre os dispositivos

A conectividade aberta permite a comunicação ou conexão de dispositivos de diferentes origens de fabricação. 

Para tanto, o 4G em 700MHz é a melhor saída para os agricultores terem conectividade em suas propriedades, pois há uma grande oferta de diferentes dispositivos compatíveis, como smartphones, modems de mesa e módulos de integração. 

Outros produtos de NB-IoT também podem integrar processos de rede entre si, o que facilita a vida do produtor na busca pela implantação de sistemas baseados na agricultura digital em sua propriedade. 

Este padrão permite que os produtores monitorem seus ativos a distância e acessem dados qualificados sobre o clima no local de plantio e colheita.

Soluções mais rápidas

As soluções de tecnologias no campo baseadas em conectividade aberta permitem que a infraestrutura de internet rural seja desenvolvida e otimizada de maneira mais ágil, estendendo os benefícios para além das cadeias produtivas.

Para se ter ideia, com a cobertura do 4G em 700MHz, o movimento da ConectarAGRO já estimulou a conectividade de 30 mil quilômetros de rodovias, totalizando quase 1 milhão de pessoas beneficiadas, além de 140 escolas rurais públicas e 31 unidades básicas de saúde rurais conectadas. 

Redução de custos e ampliação no uso de máquinas 

A conectividade aberta potencializa a parceria de diferentes empresas, oferecendo custos de instalação menores aos produtores rurais, principalmente quando a rede de cobertura é oferecida pelas operadoras.

Além disso, a sincronização entre dispositivos de diferentes origens amplia o uso potencial de máquinas digitais, uma vez que não há limitação entre dispositivos de diferentes fabricantes.

Ou seja, ela pode atender às necessidades dos produtores de todos os segmentos, conectando não só uma marca ou equipamento em específico, mas todo o ecossistema presente em sua propriedade – inclusive o próprio celular.

Na prática, significa dizer que o produtor consegue utilizar com segurança todas as funções de suas máquinas, como análise e comparação de dados à distância, alertas de falhas e identificação de áreas menos produtivas. 

E você, pensou nos benefícios de tecnologias com conectividade aberta para todos? Compartilhe conosco nos comentários! Acesse outros conteúdos da ConectarAGRO em nosso blog

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.