NB-IoT: 4 recursos que você pode utilizar na sua lavoura

Os resultados produtivos da agricultura de precisão nas lavouras brasileiras demonstram a eficiência das tecnologias aplicadas nas atividades rurais, como IoT, inteligência artificial, Big Data, NB-IoT e CAT M. 

Os recursos para coleta de informações e gestão de dados, possibilitados por softwares e equipamentos, como sensores e drones, reformularam as práticas de manejo agrícola. 

De forma contínua, a oferta de soluções tecnológicas se propagou no meio rural brasileiro, demonstrando os benefícios que podem ser conquistados com a adoção de novos sistemas digitais. 

Entre eles, a ampliação das funcionalidades proporcionadas pela aplicação da Internet das Coisas (IoT – Internet of Things), idealizada com a função de permitir a comunicação direta entre diferentes objetos, por meio da conexão à internet.

NB-IoT

Na agricultura, a aplicação da IoT viabiliza a criação de sistemas para uma completa gestão da atividade rural. Essa condição é observada, por exemplo, nos dados fornecidos pela integração de máquinas e sistemas. As informações coletadas são analisadas e combinadas de forma a ajustar falhas de manejo ou para definir estratégias mais eficientes de cultivo.

Esse é apenas um dos exemplos viabilizados pela Internet das Coisas que pode usufruir de mais uma possibilidade de conectividade, o NB-IoT. O modelo tecnológico permite aumentar a quantidade de dispositivos conectados em uma mesma rede, incrementando a eficiência na transmissão de informações. 

Mas, antes de comentar sua aplicação no campo é importante ter mais detalhes sobre o funcionamento, acompanhe.

O que significa NB-IoT?

O Narrowband Internet of Things (ou simplesmente NB-IoT) é conceituado como um padrão de tecnologia de rádio LPWAN (Low Power Wide Area Network) que permite uma ampla conexão de dispositivos e serviços, por intermédio das redes móveis.

Desenvolvido pelo projeto 3GPP, a rede foi planejada para atender o propósito da internet das coisas e se diferencia pelo baixo custo, longa duração da bateria e alta densidade de conexão. 

A fim de se ter uma melhor compreensão do funcionamento do NB-IoT é necessário esclarecer que a LPWAN é definida como um conjunto de várias tecnologias de rede de área ampla, com baixo consumo de energia e alcance de cobertura em locais não atendidos pelas tecnologias convencionais. 

Em outras palavras, o NB-IoT é  uma funcionalidade tecnológica com capacidade para conectar uma grande quantidade de dispositivos. Para os especialistas do setor essa solução atende com eficiência a necessidade de aplicações da internet das coisas, em situações que não exijam alto volume de transmissão de dados. 

No Brasil, operadoras como a TIM já ativaram essa funcionalidade na rede comercial 4G, de forma a atender a demanda de soluções oferecidas pelo mercado. Utilizando a frequência 700 MHz, tem-se um aumento na cobertura de até 40% (em relação ao modelo tradicional) e a redução no consumo de bateria, condição fundamental para o funcionamento da IoT. 

NB-IoT

O que significa CAT M?

O CAT M é mais uma das tecnologias das Redes Móveis (como o NB-IoT) que fazem parte das especificações 4G LTE (Long Term Evolution), que tem como prioridade o suporte das comunicações M2M (Máquina a Máquina) também aplicável ao agronegócio.

Com funcionalidades semelhantes ao NB-IoT, o CAT M se diferencia por oferecer condições de usos em aplicações que necessitem de mais largura de banda, ou nas situações de movimento dos dispositivos móveis. Por isso, é indicada como uma opção eficiente em casos de rastreamento móvel, como por exemplo, gestão de frotas e monitoramento remoto de pacientes. 

Entretanto, essas características não diminuem as vantagens do NB-IoT e se apresenta como mais uma opção, para atendimento às diferentes necessidades empresariais no agro. 

Em suas primeiras especificações, o NB-IoT não se destacava nos casos de uso em que se exigisse suporte à mobilidade.  Contudo, por ser uma tecnologia padronizada por uma entidade de alcance global (o 3GPP),  novas funcionalidades e suportes foram incorporados e, hoje, mesmo ainda com limitações o “gap” do suporte à mobilidade começa a diminuir, ampliando a abrangência de aplicabilidade.

Qual é o tamanho da cobertura?

Desde 2018, as operadoras móveis intensificaram os investimentos na ampliação da cobertura das redes 4G LTE, com intuito de potencializar o alcance e a velocidade do downlink (recebimento de dados) e uplink (envio de dados). Como resultado houve uma expressiva melhora na experiência do usuário em termos de navegação e consumo de aplicativos. 

Dessa forma, quando há a necessidade de aplicações para internet das coisas, as redes oferecidas pelas tecnologias LPWA (NB-IoT e/ou CAT M) estão entre as que apresentam melhores condições para o fornecimento de uma rede de grande alcance, com um menor consumo de energia.  

 Além disso, a frequência de 700MHz, utilizada por essas tecnologias,  contribui para a efetividade do tráfego de dados em longas distâncias, ou ainda em ambientes remotos (caso das propriedades rurais) e de difícil acesso (subsolo). A cobertura pode variar de 30 a 50 quilômetros, utilizando apenas uma torre de telefonia. 

 

Principais recursos do NB-IoT para agricultura

Agora que você tem mais detalhes sobre a tecnologia e os benefícios que ela oferece em todos os setores produtivos é o momento de apresentar suas aplicações no setor agrícola. É oportuno lembrar que as técnicas utilizadas na agricultura de precisão abriram caminho para o reconhecimento e adesão das tecnologias no campo.

Algumas das possibilidades foram compiladas no relatório da consultoria norte-americana Berg Insight, chamado de “Livro Branco da IoT” (tradução livre). O estudo tem abrangência global e ressalta que o avanço na utilidade da IoT mostra o caminho para uma agricultura mais sustentável e lucrativa. 

1. Softwares 

Um dos exemplos mais utilizados na atualidade, são os softwares e serviços que colaboram para identificação de problemas na lavoura, como crescimento retardado das plantas, pragas e ervas daninhas. As informações processadas, por meio das imagens de drones, otimizam a quantidade e uniformidade de uso de herbicidas, fertilizantes e sementes. 

2. Sensores 

Outro recurso favorecido pelo NB-IoT são os sensores utilizados para mensuração do clima, solo e condições de cultivo. Além de disponibilizar mais de 40 parâmetros de informações ambientais, o produtor receberá sugestões sobre período de fertilização e plantio. 

3. Armadilhas de pragas 

O monitoramento remoto de doenças é mais um campo de interesse das empresas que desenvolvem dispositivos específicos para diagnóstico e controle de infestações, via internet das coisas. Já existem no mercado, soluções que utilizam armadilhas de insetos e apresentam indicações do tempo e quantidade de pesticidas que devem ser aplicados. 

4. Irrigação de precisão 

Um experimento piloto em desenvolvimento no Brasil está analisando os resultados de uma plataforma computacional idealizada para a gestão inteligente da irrigação, baseada em IoT. 

Os testes acontecem paralelamente na Espanha e Itália, conduzidos pela pesquisa Smart Water Management Platform (Swamp). Por intermédio de uma rede de sensores sem fio serão coletados dados agronômicos e de umidade solo, a fim de identificar a necessidade de irrigação das plantas em cada talhão da lavoura. 

Cenário que estimula investimentos

Em 2017, a base instalada de dispositivos de IoT sem fio na agricultura somou 18,8 milhões de conexões. A projeção feita pela Berg Insight, considerando uma taxa de crescimento anual de 10,6%, é de que o número alcance 31,1 milhões até 2022. 

No cenário brasileiro, a meta das operadoras é ampliar a cobertura 4G na área rural, a fim de que o setor produtivo possa usufruir das funcionalidades apresentadas pelo NB-IoT. Uma das iniciativas é o projeto ‘4G TIM no Campo’ que foi desenvolvido para ampliar a conectividade nas áreas rurais, utilizando a frequência 700 MHz. 

Ao fornecer uma rede com a tecnologia LTE 4G pública, a empresa tem objetivo de oferecer compatibilidade com vários equipamentos existentes no mercado e o mais importante, conectar os dispositivos em funcionamento com a IoT. 

Em síntese, as tecnologias proporcionadas pela internet das coisas estão demonstrando que são altamente positivas para todos os setores produtivos, inclusive, a agropecuária. Os agricultores vêm se preparando para as novas funcionalidades, estimulados pela agricultura de precisão e os benefícios comprovados em ganhos e sustentabilidade.

Logo, é importante acompanhar os avanços das iniciativas públicas e privadas, a fim de planejar e definir quais tecnologias serão mais adequadas para a realidade do seu negócio. 

E então, produtor, quais desses recursos são prioridade na sua atividade agrícola?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.